quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Queima em "saggar"

.

ESFERAS - José Ramos, 2009


.
Uso o termo “saggar” para me referir de uma maneira geral a recipientes de argila refractária ou metálicos, que posso fechar bem, resistentes ao calor, para conterem peças chacotadas durante a cozedura. A designação está generalizada.
A queima saggar nasceu na China durante a dinastia Sung (anos 960 a 1279) e ainda é usada nos nossos dias. O termo (que pode ter vindo da palavra inglesa “safeguard” - salvaguarda) referia-se a recipientes feitos de argila refractária. No séc. 19 e início do séc. 20 os “saggars” eram usados na América e na Europa, para protegerem a porcelana e o grés dos vapores, cinzas ou detritos, nos fornos. As grandes fábricas de cerâmica tinham os seus próprios departamentos para fabrico de saggars. Eram feitos em muitos tamanhos e formas e aguentavam cerca de 30 ou 40 utilizações.
O uso que se dá, hoje, ao saggar é diferente. Serve para colocar materiais combustíveis dentro dele, junto às peças, para carbonizarem, flamejarem ou colorirem a superfície, dando efeitos visuais surpreendentes. São usados variados sais na atmosfera destas queimas (assim como nas de pit-firing) para conseguir efeitos marmóreos. Cada tipo de sal, seja sulfato de magnésio, sulfato de cobre, bicarbonato de sódio, sal de mesa, ou sulfato de ferro, entre muitos outros, produzirá tonalidades diferentes. O ceramista depois de pesquisar encontrará ainda outros produtos para novos efeitos.

Ao ceramista que procura ter no seu trabalho superfícies não vidradas, a queima "saggar" oferece resultados interessantes.

3 comentários:

alberto hernández disse...

Muy buenas las esferas.

José Ramos disse...

Obrigado, Alberto. Por vezes não saem tão bem.

Nadia Saad disse...

Estou prestes a realizar uma queima de tambor, como dizemos aqui.
Ela é muito parecida com o que vc descreve em seu Blog.
Só que além dos sais, usamos cascas de frutas.
Nunca fiz essa queima.
Mas, junto com as alunas da escola de Artes de Pará de Minas, que agora faz parte do Projeto Parapuan, (veja meu blog ou meu site, como vc já viu) faremos essa experiência pela 1ª vez.